Efeitos do crack a curto prazo

Efeitos do crack a curto prazo
clinica-recuperacao

Quais são os efeitos do crack a curto prazo?

O crack causa um barato intenso de curta duração que é imediatamente seguido pelo oposto — uma depressão, paranoia e uma fissura por mais droga. As pessoas que a usam não comem nem dormem adequadamente. Elas podem experimentar taquicardia, espasmos musculares e convulsões. A droga pode fazer as pessoas sentirem-se paranoicas1, zangadas, hostis e ansiosas — mesmo quando não estão sob o efeito do barato.

Independentemente da quantidade ou da frequência que a droga é usada, o crack aumenta a probabilidade de o usuário vir a experimentar um ataque cardíaco, derrame cerebral, ataque epiléptico ou insuficiência respiratória, qualquer uma destas coisas pode resultar em morte súbita.

Fumar crack apresenta uma série de riscos à saúde. O crack é muitas vezes misturado com outras substâncias que criam gases quando é queimado. Como a fumaça do crack não permanece forte por muito tempo, os canudos de crack são geralmente muito pequenos. Isto frequentemente causa rachaduras e bolhas nos lábios, causadas porque os usuários pressionam os lábios num canudo muito quente.

“A única coisa que tinha na cabeça era o crack. E se alguém me oferecesse um pouco, eu pulava em cima e pegava. É como oferecer um pedaço de pão a um homem esfomeado depois de ele ter caminhado por quilômetros...

“As coisas pioraram para mim quando comecei a fumar constantemente por algumas semanas. Um dia, decidi que já tinha usado demais — não podia mais continuar a viver assim. E tentei me suicidar.

“Vou ter que tentar e lutar... Espero que os meus instintos de sobrevivência comecem a ter um efeito sobre mim.” — John

Quais são os efeitos do crack a longo prazo?

Além dos riscos comuns associados ao uso da cocaína, os usuários de crack podem sofrer de problemas respiratórios severos, incluindo tosse, dificuldades na respiração, danos e sangramento pulmonares.

Os efeitos do uso do crack a longo prazo incluem danos graves ao coração, fígado e rins. Os usuários ficam mais propensos a ter doenças infecciosas.

O uso diário contínuo causa insônia e perda de apetite, o que faz a pessoa ficar malnutrida. Fumar crack também pode causar um comportamento agressivo e paranoico.

Como o crack interfere com a forma como o cérebro processa os elementos químicos no corpo, uma pessoa precisa de mais e mais da droga para se sentir apenas “normal”. Os dependentes de crack (como ocorre com dependentes de outras drogas) perdem o interesse em outras áreas da vida.

Quando o efeito da droga passa, isso causa depressão grave, que fica cada vez mais profunda depois de cada uso. Isto pode ficar tão sério que uma pessoa fará quase qualquer coisa para conseguir a droga, até cometer assassinato. Caso ela não consiga a droga, a depressão pode tornar-se tão intensa que pode levá-la a cometer o suicídio.

“Aposentei-me como executivo de uma corporação de sucesso, tinha conseguido formar duas filhas na faculdade. Minha festa de despedida foi, contudo, o início de cinco anos de inferno. Foi quando me ofereceram o crack pela primeira vez. Nos cinco anos seguintes, perdi minha casa, minha esposa, todos os recursos financeiros, minha saúde e quase minha vida. Também passei dois anos na prisão.” — William


EFEITOS FÍSICOS & MENTAIS

EFEITOS A CURTO PRAZO
Os efeitos do crack, por ser fumado, são mais imediatos e mais intensos do que a cocaína em pó.

Perda de apetite
Aumento do batimento cardíaco, pressão sanguínea, temperatura corporal
Vasos sanguíneos periféricos contraídos
Respiração acelerada
Pupilas dilatadas
Distúrbios do sono
Náusea
Hiperestimulação
Comportamento bizarro, errático, algumas vezes violento
Alucinações, hiperexcitabilidade, irritabilidade
Alucinações táteis que criam a ilusão de insetos rastejando por baixo da pele
Euforia intensa
Ansiedade e paranoia
Depressão
Fissura pela droga
Pânico e psicose
Doses excessivas (mesmo que seja uma vez) podem conduzir a convulsões, ataques epilépticos e morte súbita
EFEITOS A LONGO PRAZO
Danos irreversíveis nos vasos sanguíneos dos ouvidos e do cérebro, pressão sanguínea elevada que conduz a ataques cardíacos, derrames cerebrais e morte
Danos no fígado, rins e pulmões
Dores severas no peito
Insuficiência respiratória
Doenças infecciosas e abscessos se for injetado
Má nutrição, perda de peso
Cáries profundas
Alucinações auditivas e táteis
Disfunções sexuais, danos ao sistema reprodutivo e infertilidade (tanto para o homem como para a mulher)
Desorientação, apatia, confusão e exaustão
Irritabilidade e transtornos do humor
Aumento do comportamento de risco
Delírio ou psicose
Depressão profunda
Tolerância e dependência (mesmo depois de ter sido usado só uma vez)

fonte: mundo sem drogas