Tratamento em Saúde Mental

Tratamento em Saúde Mental
clinica-recuperacao

COMORBIDADES CLÍNICAS EM PACIENTES COM TRANSTORNOS NO USO DE DROGAS
 

A Saúde Premium Centro de Tratamento, utiliza de procedimentos padronizados de atendimento para melhor atender a demanda de pacientes com comorbidades associadas ao uso e abuso de substâncias psicoativas. Com proposta de atendimento humanizado e profissionais altamente competentes, visamos o melhor para o paciente, tanto na questão técnica quanto no cuidado com a hotelaria pensando nos mínimos detalhes. 

Transtornos mais comumente associados ao uso de substâncias:
– humor: depressão, uni e bipolar
– ansiedade
– déficit de atenção e hiperatividade
– esquizofrenia
– transtornos de personalidade
– transtornos alimentares


• Efeitos negativos:
• uso infreqüente e de pequenas doses pode levar a conseqüências mais sérias que as vistas na população sem comorbidade,
• hostilidade, ansiedade, depressão e alucinações, abandono das medicações,
• emergência psiquiátrica e internação,
• maior tempo no hospital,
• taxas de detenção por atos ilegais,
• falta de moradia,
• impacto financeiro e na saúde do cuidador,

 

O que são drogas?

O uso crônico e compulsivo de algumas drogas leva, fatalmente à
- Cadeia;
- Clínica psiquiátrica, ou;
- Cemitério.

Transtorno por Uso de Drogas TUD?
Ou seja, tem outra doença psiquiátrica associada ao uso, que se não for
convenientemente tratada dificultará o surgimento da recuperação.
Diferenciação entre de usuário de drogas e paciente com transtorno pelo uso de drogas
(TUD) : O paciente com TUD apresenta pelo menos 3 características das 6 apresentadas a
seguir.
1. Forte desejo ou compulsão de consumir a droga;
2. Dificuldade para controle do uso
3. Síndrome de abstinência;
4. Evidência de tolerância;
5. Abandono progressivo de prazeres ou interesses alternativos;
6. Persistência no uso apesar de fortes evidências de consequências nocivas.
TUD é doença porque:
- Existe sugestiva relação genética;
- Responde a tratamento médico;
- Ninguém quer ter transtornos quando inicia o uso de drogas.

 Quando o paciente não responde a nenhum tratamento é indicada a internação - são
os pacientes mais graves.
Com frequência as comorbidades existentes impossibilitam a internação para tratamento da
dependência química e o paciente deve ser internado em hospital clínico antes do
tratamento psiquiátrico.


DROGAS MAIS FREQUENTEMENTE UTILIZADAS NO BRASIL E SUAS CONSEQUÊNCIAS

FUMO
Importante ofensor da saúde respiratória, circulatória e cardíaca; O fumo é frequentemente
associado ao álcool, cocaína e outras drogas.
- O fumo é responsável por 30% de todos os cânceres que atingem a humanidade
-  90% dos fumantes iniciam o uso de tabaco até os 19 anos.
-  Abandonar o fumo aumenta em 17% o índice de abstinência em outras drogas.
ÁLCOOL
-  O etanol é o álcool das bebidas. Ainda não são perfeitamente esclarecidos os
mecanismos responsáveis pela sensação de prazer causado pelo álcool.
-  O metanol e o etileno glicol também inebriam, mas por serem altamente tóxicos não
estão, normalmente, associados a dependência.
-  O álcool é responsável por 3,5 milhões de mortes por ano no mundo.
-  Efeitos “desejados” do uso do álcool:
-  Desinibição,
-  Euforia,
-  Efeito ansiolítico reduzindo 
-  as manifestações de estresse.
 Efeitos “indesejados” do uso de álcool:
- Intoxicação aguda, Disartria , Diplopia , Torpor , Tristeza ,
-  Incoordenação motora, Letargia , Hipotensão arterial, Depressão, Agressividade.

Acidentes - O álcool é considerado responsável por 3,3 milhões de mortes/ano no mundo.
Efeitos do uso do álcool em longo prazo:
- Efeitos nutricionais: Deficiências vitamínicas, hipoglicemia, hiperlipidemias
(colesterol e triglicerídeos) desequilíbrios hidroeletrolíticos;
-  Aparelho digestivo: esofagite, gastrite, câncer, cirrose, varizes esofagianas,
pancreatite crônica;
-  Sistema nervoso: encefalopatia hepática, síndrome de Wernicke-Korsakoff, lesões
cerebelares, atrofia cerebral;
-  Sistema muscular esquelético: miopatias;
-  Sistema cardiovascular: hipertensão, cardiomiopatia;
-  Sangue: anemia, leucopenia, trombocitopenia.

 

COCAÍNA
Substância agonista adrenérgica com efeitos na estimulação direta ou indireta dos
receptores simpáticos centrais e periféricos (por aumento da liberação e inibição da
recaptação da norepinefrina e dopamina).
Composição: No processo de extração das substâncias ativas das folhas da coca para a
produção da pasta base da cocaína, os laboratórios clandestinos usam produtos químicos:
querosene, soda cáustica, gasolina, ácido sulfúrico e carbonato de amônia.
A pasta de cocaína passa ainda por outros processos químicos e até chegar a forma de
hipoclorito de cocaína, ou “pó”.
Ao “pó” são adicionadas substâncias como talco, lactose, procaína, ácido acetilsalicílico
(aspirina), pó de gesso, pó de mármore, pó de giz, entre outras, de forma a multiplicar a
quantidade de quilos a serem comercializados e, consequentemente, o lucro dos traficantes.
A cocaína é utilizada por:
- via endovenosa,
- esfregada nas gengivas,
- via retal,
- via vaginal,
- aspirada.
A via mais comum é a aspiração nasal - (“cheirada”), cujos efeitos ocorrem entre 10 e 15
minutos.
Por se tratar de uma substância que exerce ação estimulante, seu uso aumenta a atividade
cerebral, sobretudo nas áreas motora e sensorial.
O consumo da cocaína :
- Eleva a temperatura corpórea,
- Aumenta os batimentos cardíacos,
- Aumenta a pressão arterial,
- Dilata as pupilas.
Efeitos “desejados” do uso da cocaína:
Consequências do estado geral de excitação do organismo:
- Sensação de poder,
- Euforia,
- Onipotência,
- Aumenta o estado de alerta,
- Os pensamentos aceleram,
- A pessoa fica mais comunicativa.
- Embora a pessoa esteja “sentindo prazer”, parece inquieta, trêmula e impaciente.
- Enquanto estiver sob o efeito da substância, não sente fome ou sono.
- Com a continuidade do uso o estoque de dopamina se esgota e o prazer não mais
acompanha o uso levando ao aumento da dose e da frequência de utilização.
- Outras consequências:
- Aparelho cardiovascular - aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial com
frequentes atendimentos em pronto-socorro cardiológico, arritmias, enfarte e morte
por enfarte agudo;
- Aparelho digestivo - náuseas, perda de apetite com emagrecimento importante,
sendo comuns os casos de subnutrição e síndromes consuptivas;
- Sistema nervoso central - comprometimento da atenção, fluência verbal, memória,
capacidade de aprendizado, surtos psicóticos às vezes irreversíveis, ideação
persecutória e agressividade.
No momento da internação os usuários se apresentam frequentemente em estado de
completo abandono de hábitos alimentares e de higiene, pois passam às vezes dias na rua
sendo, frequentemente resgatados pelas famílias.
Maconha
Efeitos da maconha no organismo:
• Ao chegar na corrente sanguínea, a maconha passa por todos os tecidos do
organismo.
• As sensações experimentadas variam conforme a quantidade e teor de THC , a via de
introdução e absorção.
• Os efeitos variam muito de indivíduo para indivíduo e dependem da personalidade e
mesmo do grau de experiência do indivíduo no uso da droga. 
Alguns efeitos causados pelo uso da maconha a curto prazo:
- período inicial de euforia (sensação de bem-estar e felicidade, seguido de
relaxamento e sonolência).
- risos espontâneos (risos e gritos imoderados como reação a um estímulo verbal
qualquer).
- perda da definição de tempo e espaço: o tempo passa mais lentamente (um minuto
pode parecer uma hora ou mais), e as distâncias são calculadas muito maiores do
que realmente são (um túnel de 10 metros de comprimento por exemplo pode
parecer ter 50 ou 100 metros).
- coordenação motora diminuída - perda do equilíbrio e estabilidade postular;
- alteração da memória recente;
- falha nas funções intelectuais e cognitivas;
- maior fluxo de ideias porém ideias confusas;
- pensamento mais rápido que a capacidade de falar dificultando a comunicação oral,
a concentração, o aprendizado e o desenvolvimento intelectual;
- aumento da frequência cardíaca (taquicardia);
- hiperemia das conjuntivas (olhos vermelhos);
- aumento do apetite (especialmente por doces) com secura na boca e garganta.
O uso de doses mais altas de maconha podem levar a:
- alucinações, ilusões e paranoias;
- pensamentos confusos e desorganizados;
- Despersonalização;
- ansiedade e angústia que podem levar ao pânico; 
- sensação de extremidades pesadas;
- medo da morte;
- incapacidade para o ato sexual (até impotência).
Efeitos do uso da maconha a longo prazo
- No sistema pulmonar ocorre redução do número de bronquíolos, com obstrução da
entrada de ar;
- O sistema cardiovascular fica sobrecarregado para compensar a dificuldade de oxigenação
- Diminuição da resposta imune;
- Redução dos níveis de testosterona; Diminuição da motilidade dos espermatozóides
e infertilidade;
- Redução da libido; Impotência; Alterações do ciclo menstrual;
Ginecomastia (crescimento de mamas em homens);
- Galactorréia (secreção anormal de leite pelas mamas);
- Alterações de memória;
- Aumento da incidência de periodontites;
- Pacientes portadores de hepatite C apresentam maior risco de evoluírem para
cirrose e câncer de fígado;
- Aumentam os riscos de se desenvolver doenças psiquiátricas como esquizofrenia e
Existe hoje uma síndrome chamada em inglês de “chronic cannabis syndrome”.
Descreve usuários pesados de longa data que apresentam dificuldades cognitivas e
menores conquistas profissionais e acadêmicas. Normalmente são pessoas com
menos ambições profissionais e que acabam em empregos que exigem menor
capacidade de raciocínio e concentração.


CRACK
Composição: Obtido a partir de mistura da pasta a base de coca ou cocaína refinada com
bicarbonato de sódio e água. Aquecido a mais de 100º C o processo de decantação separa
substâncias liquidas e sólidas. A porção sólida resfriada gera as pedras de crack,
concentrando princípios ativos da cocaína.
O nome crack originou-se do barulho feito pela queima das pedras durante o uso.
Por serem produzidas clandestinamente a composição das pedras é variável, já tendo sido
encontradas diversas substâncias como cal, cimento, querosene, ácido sulfúrico, acetona,
amônia e soda cáustica.
Efeitos “desejados” do uso do crack:
a euforia e o prazer (mesmos da cocaína) porém mais fugazes, o que leva o usuário a
rapidamente aspirar novamente a fumaça.
Os efeitos são quase imediatos.
Como a droga é aspirada ela entra no sangue em 8 a 15 segundos e o vício se instala quase
imediatamente.
Efeitos “indesejados” do uso do crack:
- Na boca - queimaduras , inflamações de gengivas e perda de dentes;
- Nos dedos - queimaduras, dando ao usuário um aspecto característico;
- Vias aéreas superiores – os efeitos da cocaína agravados pelo efeito do intenso calor
desprendido na queima das pedras como pelas substâncias químicas existentes nas
mesmas;
- Aparelho cardiovascular ,aparelho digestivo e sistema nervoso central - os efeitos da
cocaína.
17% dos usuários de crack morrem em 5 anos.

 

texto:

- DEPENDÊNCIA DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS E COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS - UNIAD

- Davi Tomasi: Psicólogo Clínico, consultor em dependência química, especialista em dependencia química neurosciência e aprendizagem, psicoterapia breve operacionalizada e psicologia comportamental e cognitiva.